Tecnologias sustentáveis para o asfalto

Nos últimos anos, o mundo intensificou a busca energias renováveis e alternativas sustentáveis ao uso de recursos fósseis. Carros elétricos e exploração de usinas solares e eólicas são alguns dos exemplos que mais ganham destaque.

A substituição de derivados do petróleo, inclusive do asfalto comum, também tem sido uma pauta constante. Afinal, o ligante asfáltico utilizado pelo mundo é um produto obtido no processo de refino do petróleo.

ECOFLEX no complexo Anchieta-Imigrantes, em São Paulo.

E na vanguarda das tecnologias asfálticas, a GRECA Asfaltos, sempre amparada pelos estudos realizados de seu CPD&I – Centro de Pesquisa, Desenvolvimento & Inovação, apresenta constantemente para o mercado soluções alternativas ao CAP comum.

Um dos nossos maiores orgulhos, o asfalto-borracha surgiu no Brasil por meio de uma parceria entre a GRECA Asfaltos e o LAPAV – Laboratório de Pavimentação da Universidade do Rio Grande do Sul. E desde sua primeira aplicação, que ocorreu em 2001, o produto é hoje uma referência no mercado nacional em sustentabilidade. Outra inovação e tendência de mercado foi  o CM-Imprimação, uma emulsão asfáltica alternativa ao CM-30 que a GRECA introduziu no mercado ainda no início dos anos 2000.

 

O desenvolvimento de um bioligante com tecnologia 100% nacional:

Seguindo seu instinto de inovação, a GRECA, em conjunto com a Quimigel, uma empresa da área química, desenvolveram um produto pioneiro no Brasil: o ligante asfáltico de origem vegetal – o bioligante.

O termo bioligante define sua exata compreensão: trata-se de uma tecnologia inovadora em ligantes aglutinantes, produzidos com resinas de base 100% vegetal (naturais ou modificadas). Ou seja, a produção do Concreto Asfáltico Usinado a Quente pode ser feita sem a necessidade de adição de qualquer derivado de petróleo à mistura.

 

Primeiros trechos experimentais

Os primeiros trechos experimentais com o bioligante foram realizados em dezembro de 2016, entre os km 155 e 163 da BR-050, rodovia sob concessão da MGO Rodovias, que atua desde a cidade de Cristalina (GO) e até o munícipio de Delta (MG), na divisa com São Paulo.

Com cerca de 500m cada, a experiência proporcionou uma base comparativa entre três produtos: o Bioligante, o CAP 30/45 e o ECOFLEX 3G, asfalto-borracha da GRECA.

Ainda em 2017 serão realizados novos trechos com o bioligante com o objetivo de se obter mais dados para estudos de viabilidade comercial do produto. Fique ligado nas novidades do Fatos&Asfaltos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *